Notícias > Habilidades Sociais: como desenvolver um comportamento socialmente hábil

Olá, pessoal!

Esperamos encontrar cada um de vocês bem e, se possível, em casa.

As relações interpessoais são inerentes à atividade humana e é por meio delas que muitos dos nossos comportamentos são desenvolvidos. Por isso, consideramos importante falar de habilidades sociais com o objetivo de demonstrar que as relações sociais podem se desenvolver de uma forma mais respeitosa e harmônica, pois, por meio do conhecimento dessas habilidades, a comunicação se torna mais eficiente dentro dessas relações.

Sabe quando dizemos sim para uma pessoa querendo dizer não? Ou quando deixamos de falar alguma coisa para evitar conflito? E quando estamos diante de alguma autoridade e não sabemos como nos comportar? Também existe aquela dificuldade em dar feedback para as pessoas, seja no trabalho ou na vida pessoal. E aquela dificuldade em apresentar um trabalho em sala de aula: já passou por isso?

Tudo isso está relacionado ao desenvolvimento de habilidades sociais que são as diferentes classes de comportamentos sociais presentes no repertório de uma pessoa que contribuem para a qualidade e a efetividade das interações que ela estabelece com as demais (DEL PRETTE & DEL PRETTE, 2001 apud PORTELLA, 2011).

Segundo a literatura, pessoas socialmente hábeis tendem a manter relacionamentos profissionais e pessoais com uma comunicação eficaz, contribuindo para que essas relações sejam mais produtivas, satisfatórias e duradouras. Esse conjunto de habilidades e as consequências positivas que acarretam no relacionamento contribuem para o bem-estar físico e mental. Já pessoas com dificuldades nas habilidades sociais tendem a apresentar dificuldades e conflitos interpessoais e pior qualidade de vida, podendo passar por estresse, desconforto e emoções negativas, como raiva, frustração e sensação de serem rejeitadas e desvalorizadas, além de diversos transtornos psicológicos.

Segundo Del Prette & Del Prette (2001), pesquisadores brasileiros e referências no estudo nessa área, as habilidades sociais são classificadas em: habilidades de comunicação (falar e responder perguntas, dar e receber feedback, elogiar, iniciar, manter e finalizar conversação); de civilidade (dizer por favor, agradecer, cumprimentar); assertivas de enfrentamento ou de defesa de direitos e de cidadania (expressar opinião, fazer pedidos, interagir com autoridades, lidar com críticas, expressar desagrado, pedir mudança de comportamento);  habilidades empáticas e de expressão de sentimento positivo (expressar apoio, refletir sentimentos, fazer amizade, expressar solidariedade) e habilidades sociais profissionais ou de trabalho (coordenar, falar em grupo). Por fim, segundo esses mesmos autores, a base de qualquer comportamento socialmente competente se deve a automonitoria, ou seja, a capacidade de observar, descrever, interpretar e regular pensamentos, sentimentos e comportamentos em situações sociais.

Todas essas habilidades são adquiridas ao longo da nossa vida de acordo com as nossas relações e interações no contexto em que vivemos. Portanto, não há uma maneira exclusiva de ser habilidoso socialmente, pois isso varia de cultura e do momento em que vivemos. Basicamente, ser uma pessoa socialmente hábil está relacionado à capacidade de fazer amizades e manter outros relacionamentos, demonstrar empatia, competência profissional, assertividade (expressar-se de forma respeitosa, falar o que deve ser falado sem agredir o outro), civilidade e autocontrole, entre outros.

De acordo com a exposição acima, você se considera uma pessoa socialmente hábil? Provavelmente, muitos de nós temos déficits em várias classificações dessas habilidades, e isso não significa que não somos pessoas capazes de nos relacionar. Mas se essas dificuldades estão causando prejuízos nas relações pessoais e de trabalho, é possível aprender as habilidades sociais deficitárias para um melhor desempenho social.

Algumas formas de melhorar seu desempenho social são:

 

-       Saiba se expressar: procure ser claro para se expressar, evitando “rodeios”;

-       Não julgue: não ter preconceitos e uma visão cheia de esteriótipos auxilia na adaptação aos mais variados ambientes;

-       Pratique a empatia: procure colocar-se no lugar do outro, ser compreensivo;

-       Aprenda a ouvir: pratique a escuta ativa - enquanto outra pessoa estiver falando, procure estar atento ao que ela fala; quantas vezes prestamos realmente atenção no que o outro está falando?;

-       Administre suas emoções: procure reconhecer os sentimentos diante de situações boas e ruins e administrá-los para que não prejudiquem os relacionamentos;

-       Seja educado: gentileza e cordialidade são a base de qualquer tipo de relacionamento;

-       Seja assertivo: procure expressar-se de forma respeitosa, falar o que deve ser falado sem agredir o outro;

-       Saiba negociar: em qualquer tipo de relação, esta é uma habilidade que precisa ser desenvolvida, pois no relacionamento (seja de trabalho ou pessoal) existem visões diferentes, e há situações em que será preciso fazer negociação e concessões.

 

            Em Psicologia, quando falamos de “Habilidades”, nos referimos a comportamentos que podem ser aprendidos. Ou seja, no caso do desempenho social, não se trata de uma predisposição genética do indivíduo para agir ou ser daquela maneira socialmente hábil, mas de um comportamento que pode ser desenvolvido e adquirido ao longo da vida.  Você pode inserir aos poucos esses comportamentos no seu dia a dia, até que eles se tornem mais habituais no seu repertório. Além disso, existem profissionais que trabalham com treinamento de habilidades sociais. Se você deseja melhorar esse aspecto da sua vida para um melhor desempenho pessoal e profissional, não hesite em buscar ajuda.

Continue se cuidando!

 


Notícia cadastrada em 28/09/2020 08:47  
SIGAA | DTI - Diretoria de Tecnologia da Informação - (35) 3629-1080 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa04.unifei.edu.br.sigaa04